Surto de febre amarela provoca corrida aos postos de saúde de Canoas
29 de Janeiro de 2018
Surto de febre amarela provoca corrida aos postos de saúde de Canoas
Surto de febre amarela provoca corrida aos postos de saúde de Canoas

No entanto, gestantes, bebês de até seis meses e transplantados são alguns dos grupos que não devem se vacinar

É grande a procura pela vacina da febre amarela em Canoas depois do surto registrado em São Paulo, Minas Gerais, no Rio de Janeiro, Espirito Santo e na Bahia. Apesar não terem sido identificados focos no Rio Grande do Sul nos últimos 12 meses, a busca se justifica, uma vez que as pessoas podem contrair o vírus fora do Estado.

Desta forma, duas mil doses da vacina são distribuídas mensalmente nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município. No entanto, devido aos relatos de efeitos adversos, ela deve ser indicada somente após uma avaliação do serviço de saúde com o paciente.

O infectologista Guilherme Domingues, médico do Hospital Universitário de Canoas, administrado pelo Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública (GAMP), explica que há um grupo de pessoas que não deve se vacinar. Entre eles, estão as gestantes, alérgicos a ovo, bebês de até seis meses, pacientes com doenças que reduzem a imunidade, como HIV, câncer, doenças hematológicas, lúpus e diabetes descontrolada, transplantados e quem utiliza medicação imunossupressora. “Mulheres amamentando e idosos com mais de 60 anos não são casos de contraindicação absoluta, porém o médico deve avaliar o risco e o benefício da imunização”, salienta Domingues.

Nas áreas rurais, os mosquitos Haemagogus e Sabethes são os transmissores da doença, é importante salientar que os macacos também são vitimas do vírus. Já na zona urbana, a febre amarela é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti.

No entanto, desde a década de 40 não há relato de casos registrados nestes locais. O infectologista orienta que “a vacina, mesmo com as descrições de efeitos adversos, deve ser aplicada em toda a população que não apresenta fatores de riscos”. Os primeiros sintomas da doença são febres, calafrios, dor de cabeça e nas costas, podendo também ter náuseas e vômitos.

A orientação para a população é evitar viajar para as zonas de risco, usar repelentes, mosqueteiros nas janelas e erradicar qualquer foco de proliferação próximo às suas casas. Os pacientes que apresentarem os sintomas devem procurar atendimento médico no município, podendo ser em unidades básicas de saúde ou unidades de pronto atendimento.

Confira o calendário de vacinação da Febre Amarela nas Unidades Básicas de Saúde de Canoas:

Segunda-feira: Niterói, Mathias Velho, São Luís, Igara, Rio Branco e Central Park

Terça-feira: Nova Niterói, Natal, Guajuviras, São José, Santa Isabel e Fátima 2

Quarta-feira: Niterói, Harmonia, Santo Operário, Olaria, Fátima 1

Quinta-feira: Cerne, Praça América, São Vicente, CAIC, Boa Saúde

Sexta-feira: Concoban, União, José Veríssimo, Estância Velha, Pedro Luís, Mato Grande

Camejo Soluções em Comunicação | 29 de Janeiro de 2018