SHPOA contra obrigatoriedade da Room Tax
21 de Fevereiro de 2020
SHPOA contra Room Tax obrigatória
SHPOA contra Room Tax obrigatória

Sob o comando do presidente do SHPOA - Sindicato de Hotéis de Porto Alegre, Carlos Henrique Schmidt, os empresários da hotelaria associados à entidade se reuniram para tratar da questão do Room Tax, taxa voluntária que é cobrada dos hóspedes e repassada ao Conventions & Visitors Bureau ao qual o hotel é afiliado. A reunião contou com a participação do secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Eduardo Cidade.

Na ocasião, os hoteleiros definiram a posição contrária a uma possibilidade de implementar a obrigatoriedade da cobrança, de forma compulsória via poder executivo. "Essa taxa seria exigida obrigatoriamente dos hóspedes e nossa posição é contrária a isso. Somos contrários, na verdade, a qualquer nova taxa, especialmente em uma situação de obrigatoriedade. Entendemos que essa cobrança deva ser opcional, pela escolha de cada hotel em cobrar este valor que é repassado para o Porto Alegre Convention & Visitors Bureau (CVB). Infelizmente, a maioria não tem essa compreensão, de que é algo que volta para a cidade, mas, de toda forma, não podemos corroborar com a ideia de imposição”, explica Schmidt.

Cidade explicou que a Room Tax já foi objeto de discussões no âmbito do Conselho Municipal de Turismo (Comtur). “Nessas discussões, ficou claro que não haverá, por parte do município, nenhuma iniciativa para se criar essa taxa, a não ser que exista uma articulação do setor com o objetivo de instituí-la”, reiterou o responsável pela pasta. Além do POA CVB, dentre os hoteleiros, participaram da reunião representantes do Hotel Continental Business, Ritter Hotéis, Hotel Plaza São Rafael, Eko Residence Hotel, Rede Master de Hotéis, Rede Intercity e Rede Express.

Camejo Soluções em Comunicação | 21 de Fevereiro de 2020