30 de Agosto de 2017
Lições solidárias na Escola Reverendo Olavo Nunes
Lições solidárias na Escola Reverendo Olavo Nunes

Alunos do Ensino Fundamental da Escola Cristã Reverendo Olavo Nunes têm lições de práticas solidárias para se tornarem adultos melhores

Todas as manhãs, os estudantes do turno inverso do 1º ao 4º ano do Ensino Fundamental da Escola Cristã Reverendo Olavo Nunes aprendem bem mais do que português, matemática ou história em sala de aula. No entanto, o conteúdo que preenche a grade curricular é tão ou mais importante para a vida deles como esses tão tradicionais: eles aprendem a solidariedade e de que forma ser solidários os transformará em pessoas melhores.

Com idades entre seis e nove anos, os alunos que integram o Projeto Solidariedade, implantado pela escola neste semestre, aprendem a identificar a importância das ações solidárias na sociedade. “Em um primeiro momento, levantamos questões sobre o que significa o amor ao próximo, quais ações que as crianças estavam acostumadas a praticar que representassem esse amor e se atos de caridade poderiam ser alguns exemplos para demonstrá-lo, entre outros pontos”, explica Carla Andrade, diretora pedagógica do Ensino Fundamental.

A partir das respostas, as crianças, com a orientação da professora Luciana Monteiro, começaram a pensar de que forma poderiam aplicar o que aprenderam. Surgiu a ideia da confecção de uma colcha de retalhos para ser entregue nesta semana ao Asilo do Cego Idoso, junto com as doações recolhidas na gincana solidária realizada no mês passado na escola.

“Com base na leitura do livro Colcha de Retalhos, de Conceil Corrêa da Silva, estamos confeccionando a colcha com centenas de retalhos que os alunos trouxeram de casa. Nosso objetivo é visitar o asilo para doá-la, e, mais do que isso, fazer com que os alunos conheçam a realidade daquelas pessoas que estão lá que têm uma história de vida muito distinta da que estão habituados a conviver”, afirma Carla.

No asilo, será realizada, também, uma hora do conto com os idosos, para que os alunos percebam a importância de doarem um pouco de seu tempo a quem precisa. “Essa é uma maneira simples de ser solidário, mas que faz muita diferença na vida de cada uma daquelas pessoas. Ao final, a colcha será entregue a eles como forma de recordação desse momento”, revela a diretora.

Os alunos do turno inverso da escola fazem parte do projeto Tribos, da ONG Parceiros Voluntários.

Camejo Soluções em Comunicação | 30 de Agosto de 2017