26 de Junho de 2018
Médico do HPSC pede cuidado durante a Copa  
Médico do HPSC pede cuidado durante a Copa  

Devido às comemorações, acidentes com artefatos explosivos podem se tornar muito comuns nesta época do ano

Na próxima quarta-feira (27), o Brasil entra em campo para mais uma partida da Copa do Mundo. E, com ele, também a preocupação com o uso indevido de fogos de artifício. Segundo o cirurgião plástico Márcio Castan, médico do Hospital de Pronto Socorro de Canoas (HPSC), todo o cuidado é pouco para evitar as queimaduras causadas pelos artefatos nesta época.

O médico explica que a faixa etária que mais se fere é a de pacientes de 15 a 40 anos do sexo masculino. “Dependendo do trauma sofrido, as condições variam de pequenas lesões, queimaduras até a amputação de membros, principalmente dedos”, diz.

Castan explica que cada caso é diferente, mas para restabelecer a função do membro amputado é preciso intervenção cirúrgica. Ele salienta que “o tratamento pode durar meses e, dependendo da condição do paciente, é preciso um trabalho conjunto com a fisioterapia. Além disso, o prejudicado fica fora do mercado de trabalho neste período de recuperação”.

Segundo o levantamento elaborado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), em parceria com as Sociedades Brasileiras de Cirurgia da Mão (SBCM) e de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), o manuseio inadequado de fogos de artifício levou à internação hospitalar de mais de cinco mil pessoas entre os anos de 2008 e 2017. No Rio Grande do Sul, durante este período, 117 casos foram registrados.

 

Grupo GAMP

 

O Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública (GAMP) atua desde 2006 na prestação de serviços junto a governos municipais e estaduais em várias regiões do Brasil, se destacando pela gestão transparente, capacidade de administração de equipamentos de saúde e recursos públicos com responsabilidade. Com sede na capital paulista, atualmente está presente no Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio Grande do Sul, onde é responsável pela gestão de quatro unidades de saúde em Canoas, Região Metropolitana de Porto Alegre: o Hospital Universitário (HU), o Hospital de Pronto Socorro (HPSC), duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e quatro Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Mais informações no site: www.grupogamp.org.br

Camejo Soluções em Comunicação | 26 de Junho de 2018