10 de Abril de 2018
"Cada um de vocês é o salvador que a pátria precisa", diz João Amoêdo
"Cada um de vocês é o salvador que a pátria precisa", diz João Amoêdo

Encontro com presidenciáveis ocorreu nesta segunda-feira (9), no Centro de Evento da PUCRS. Amoêdo enfatizou a necessidade de autonomia dos cidadãos para um país menos burocrático e mais livre.

O Fórum da Liberdade de Porto Alegre teve início na noite desta segunda-feira (9), no Centro de Eventos da PUCRS. Um dos destaques da programação foi o encontro com presidenciáveis, que lotou o auditório e levou um grande público a acompanhar o evento também do lado de fora, através dos pontos de transmissão. O pré-candidato do Partido NOVO à presidência da República, João Amoêdo, abriu as participações da noite, dando destaque em sua fala à necessidade de novas práticas e novas lideranças na política brasileira, com menos burocracia e mais liberdade aos cidadãos.

"O Novo nasceu com o DNA da inovação, para funcionar de uma maneira diferente", declarou Amoêdo, ao discorrer sobre as motivações para a construção do partido. Ele mencionou os cortes no número de Cargos em Comissão (CCs) e na verba de gabinete que têm sido diferenciais no trabalho dos vereadores do NOVO eleitos no último pleito. O pré-candidato aproveitou para reforçar que o NOVO não utiliza verba pública para a sua manutenção, fator que levou o público a celebrar o posicionamento inédito entre partidos políticos.

"Eu acredito que para defender nossos posicionamentos, precisamos apostar no estado de direito, nas instituições, na coerência e no protagonismo do cidadão", afirmou, enquanto fez duras críticas ao estado intervencionista e ao vitimismo latente dos tempos atuais. "Devemos atuar sempre com humildade, equilíbrio e evitar os atalhos", completou.

Amoêdo também reforçou sua intenção de trabalhar para a garantia de um país seguro, simples e livre, com foco na necessidade de enxugar a máquina pública. Dentre os eixos das mudanças, citou a redução de privilégios; equilíbrio de contas; poder ao cidadão; urgência da Reforma da Previdência; redução e simplificação da carga tributária; integração maior entre os governos; corte de gastos; redução no número de ministérios; fim do foro privilegiado. O último dos eixos, no entanto, fez com que fosse fortemente ovacionado pelo público: a revogação do estatuto do desarmamento. "As pessoas precisam ter liberdade com responsabilidade e direito à legítima defesa", enfatizou.

Sobre a disputa presidencial, Amoêdo foi enfático a respeito de possíveis alianças políticas: "Não faremos coligações para obter privilégios". Ele explicou que o estatuto do NOVO prevê coligações, mas é algo que só fará sentido com partidos que compartilham dos mesmos valores. "Acho que ainda é pouco provável, mas estamos abertos ao diálogo".

Ao finalizar sua fala, o candidato do NOVO reforçou a aposta no cidadão como agente de renovação: "A mudança que queremos já está em curso e a velocidade dependerá do nosso engajamento. Cada um de vocês é o salvador que a pátria precisa e vocês são os porta-vozes da mudança", disse.

No bloco de perguntas, realizadas por Júlio Lamb, mediador do encontro e presidente do Instituto de Estudos Empresariais (IEE) - órgão que promove o Fórum -, Amoêdo falou sobre pautas sociais, como o FIES e Bolsa Família. "O Bolsa Família é importante, mas se deve comemorar por aqueles que saem do programa, e não pelos que entram. Além disso, o melhor programa social é o trabalho, já diria [Ronald] Reagan", avaliou, referindo-se ao caráter empreendedor do brasileiro e à necessidade de espaço para isso - momento em que novamente foi aclamado pelos presentes. Sobre o programa de financiamento estudantil, definiu que há "exagero na quantidade de recursos", o que, segundo ele, causou desequilíbrio no mercado e aumento nos valores das mensalidades.

Sobre o pré-candidato do NOVOJoão Dionisio Filgueira Barreto Amoêdo tem 55 anos e é natural do Rio de Janeiro. Formou-se em engenharia e administração de empresas aos 22 anos. Participou do programa de Trainee do Citibank e, com 25, foi promovido a gerente. Ocupou a cadeira de diretor executivo do BBA-Creditansalt S.A. e assumiu a gestão da financeira do banco, a Fináustria, eleita uma das 100 melhores empresas para se trabalhar no Brasil pela revista Exame. Também foi vice-presidente do Unibanco e membro do conselho de administração. Em 2009, passou a fazer parte do conselho de administração do Itaú-BBA, cargo que ocupou até 2015. De 2011 a 2017 foi membro do Conselho de Administração da João Fortes.

Camejo Soluções em Comunicação | 10 de Abril de 2018